O Realismo Fantástico de Franz Kafka, por Flávio Neponucena

O Processo é uma das obras mais importantes de Franz Kafka. Nessa narrativa, Josef K, personagem central da obra, é sentenciado, sem justificativa aparente, no dia de seu aniversário de 30 anos. Kafka dirige-se a Josef K. apenas como K., o que talvez seja uma forma de denominar K como uma abreviação de Kafka..

Josef K. é o segundo funcionário mais importante do banco onde trabalha, e não obstante das preocupações de seu trabalho, tem que lidar com um processo judicial onde ele é o réu, e sem saber o porquê de tal acusação, mergulha em outro processo: o psicológico. O livro retrata personagens cotidianos, como a dona da pensão onde ele mora, a senhorita Grubach, de “curiosidade verdadeiramente senil”; Fräulein Bürstner, uma jovem que mora na mesma pensão que K.,e deposita nele certa atração, além de vários advogados sem muito compromisso com o acusado. O grande destaque fica para o Tio Karl. Analisando profundamente, o despotismo de Karl pode ser comparado ao pai repressivo do autor, o qual Franz identificava aspectos tirânicos.

O personagem K. serve como um elo entre a corrupção e a insegurança que existe no tão “correto” Estado de Direito. É uma severa crítica às leis que funcionam apenas no papel, mas que na realidade servem de pretexto para controlar as pessoas que não possuem defesa de qualquer natureza. Um livro que demonstra não uma causa sem efeito, mas um efeito sem causa. Formado em Direito, Kafka exercia suas funções no mundo jurídico de forma exemplar, sendo inclusive promovido duas vezes.

Porém, sentia-se insatisfeito com a profissão, que lhe tirava grande tempo em que podia se dedicar aos livros, chegando a afirmar que odiava “tudo aquilo que não é literatura”.Talvez a obra seja uma ironia àquilo que tanto fazia apenas por obrigação, e não por prazer. Ele distorce o mundo jurídico, criando um ar um tanto non sense, fazendo o personagem principal passear sobre as situações mais ilógicas possíveis, em ambientes sujos e abafados, diferentes dos grandes tribunais de um enredo lógico.

Anúncios

Sobre rascunhopub

Um bar, digo, um LUGAR de amigos. Puxe a cadeira, puxe papo, puxe saco! Estamos aqui pra isso.
Esse post foi publicado em Artigo, Autores, Flávio Neponucena. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s